A comissão Nacional de Negociação da Fitratelp – CNN se reuniu com representantes da TIM no último dia 13 de agosto, para discutir o Aditivo 2019 ao Acordo Coletivo de Trabalho – ACT 2018/2020 da categoria. Fomos surpreendidos com a desfaçatez da TIM em propor a extinção do ACT e criando um apartheid corporativo.
A TIM tentou pautar esse primeiro embate na mesa de negociação. Uma novidade,pois no setor de telecomunicações o assunto nunca tinha sido levantado pelos patrões. Sem meias palavras, a intenção da empresa é acabar com o ACT e implantar acordos individuais de trabalho.
A empresa teve ainda a audácia de propor reajuste com INPC “escalonado” e reajuste “proporcional” para quem foi contratado durante a vigência do ACT.
Como não poderia ser diferente, essas excrescências foram rejeitadas pelos representantes dos trabalhadores.
Além disso, a TIM quer propor manter teto de comissões, porém sem nenhum adicional caso esse teto seja superado pelo trabalhador. Sendo direto, o trabalhador estará trabalhando de graça e aumentando o lucro da empresa. Esse foi o único tema que a empresa se dignou a rever diante da forte reação da CNN Fitratelp.
Alertamos aos trabalhadores que a Campanha Salarial 2019 não será fácil, o que exige um engajamento maior de cada companheiro e companheira para fortalecera CNN Fitratelp durante as negociações do ACT. Precisamos desse apoio para construir as condições necessárias para buscar um acordo que atenda às necessidades da categoria.
Uma nova rodada de negociações será realizada no mês desetembro e esperamos que a TIM se manifeste sobre a nossa Pauta de Reivindicações e respeite os trabalhadores.

Sinttel Piauí.

Artigos Relacionados
Leia mais em SINTTELPI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja também

Qual a importância de ser Sindicalizado?

O Sindicato representa TODOS os trabalhadores (sindicalizados ou não), ninguém é obrigado …