Na tarde desta quarta (10-07), aconteceu uma panfletagem na Praça do Fripisa contra reforma da previdência, informando a população o quanto é nefasto esse projeto para a classe trabalhadora, entre as centrais a CUT PIAUÍ esteve presente representada pelo Presidente – Paulo Bezerra.

Paulo ” Estamos nas ruas contra quaisquer projetos que retiram direitos, chamamos atenção da população pra resistir na LUTA contra a política de retrocesso do governo Bolsonaro, não cruzaremos os braços”. Disse.

Uma nova panfletagem acontece nesta quinta na Praça da Bandeira, e uma reunião das centrais também está agendada para discutir as estrategias desta sexta (12).

 

#12J: Centrais sindicais realizam ato em frente ao INSS em Teresina

Alinhados com a agenda nacional de luta contra o fim da aposentadoria, pela valorização da educação e pelo emprego, centrais sindicais, estudantes e movimentos sociais ampliam o diálogo com os trabalhadores nas ruas da capital Teresina, e seguem firmes. Na próxima sexta (12), a concentração está marcada para ás 8h da manhã em frente ao INSS – Centro, próximo a Praça Rio Branco. Nesta Quarta (10), acontece Panfletagem ás 17h, na Praça do Fripisa, convocando a sociedade e aos (as) trabalhadores (as) para aderirem a manifestação, e fortalecendo o esclarecimento dos danos que podem ser causados caso a Reforma da Previdência venha a ser aprovada da forma como está.

A mobilização do dia 12 em Teresina-Piauí, soma forças ao ato nacional convocado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), em Brasília (DF), que será realizado durante o congresso da entidade, que acontece entre os dias 10 e 14 de julho. Os estudantes e os trabalhadores prometem repetir a força dos atos realizados em todo o Brasil nos dias 15M, 30M e 14J, contra as os ataques aos direitos promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL).

No mesmo dia 12, comerciários entram em greve por tempo indeterminado.

Os trabalhadores e trabalhadoras do comércio de Teresina, reunidos em assembléia na útima sexta-feira (5), rejeitaram, por unanimidade, as contrapropostas do setor patronal e deliberaram pela deflagração de greve por tempo indeterminado a partir do dia 12, sexta-feira.

A categoria comerciária, durante a assembléia, reafirmou as principais reivindicações, como: manutenção da Convenção Coletiva de Trabalho anterior, reajuste linear de 5%, além da inclusão das contribuições social e confederativa somente para os trabalhadores e trabalhadoras filiados.

 

 

Fonte: Cut PI

Artigos Relacionados
Leia mais em CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja também

STF autoriza licença de 180 dias para servidor pai ‘solo’

Os ministros do STF negaram recurso do INSS contra decisão do TRT-3 e decidiram que é cons…