O total de bancários afastados por doença cresceu 30% entre 2009 e 2017. Pelo menos metade desses casos foram decorrentes de transtornos mentais e comportamentais, que cresceram 61,5% no período, e enfermidades relacionadas a lesões por esforço repetitivo, que tiveram incremento de 13%. Com base em dados do INSS, obtidos pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, reportagem de Rodolfo Wrolli mostra a “epidemia” que afeta os trabalhadores do sistema financeiro em todo o Brasil, já que a categoria bancária teve crescimento de apenas 1% nesses oito anos.

Segundo dados do Ministério Público do Trabalho (MPT), os bancos foram responsáveis por 5% dos trabalhadores afastados por doença entre 2012 e 2017, enquanto a categoria representava 1% dos empregos no país.

Para a coordenadora do Programa Organização, Gestão do Trabalho e Adoecimento da Fundacentro, a médica Maria Maeno, os números apresentados demonstram que o trabalho bancário tem relação direta com os níveis de adoecimento. “Na população geral, 50% dos adoecimentos são da esfera psíquica ou do sistema musculoesquelético? Não”, ressalta a pesquisadora.

Segundo o secretário de Saúde do Sindicato dos Bancários, Carlos Damarindo, a sobrecarga de trabalho, a pressão para o cumprimento de metas abusivas e assédio moral são os principais fatores que levam ao adoecimento dos trabalhadores. “Tudo isso objetivando o aumento da lucratividade cada vez maior das instituições financeiras, o que só favorece os acionistas e diretores executivos dos bancos, em detrimento da saúde de milhares de trabalhadores.”

A reportagem alerta ainda que o total de trabalhadores doentes pode ser maior, já que os órgãos oficiais computam apenas os bancários afastados pelo INSS, desconsideram trabalhadores que não tiveram o benefício previdenciário concedido, ou ainda os que por outras razões nem sequer acionaram a Previdência.

Fonte: RBA

Artigos Relacionados
Leia mais em CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja também

STF autoriza licença de 180 dias para servidor pai ‘solo’

Os ministros do STF negaram recurso do INSS contra decisão do TRT-3 e decidiram que é cons…