A presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, Ivone Silva, falou à TV 247 sobre a importância do fortalecimento dos sindicatos no atual momento de ataque aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras e destacou que o grande desafio do movimento sindical brasileiro, neste ano, é combater a nefasta reforma trabalhista sancionada pelo governo ilegítimo e golpista de Michel Temer (MDB-SP) em novembro de 2017.

“Todo o ataque deste governo foi contra os direitos dos trabalhadores e à organização do movimento sindical, que durante anos, por meio das negociações e greves, conquistou uma série de direitos aos trabalhadores. Por isso, a exemplo do que fez a categoria bancária na Campanha Nacional deste ano, somente a união e o fortalecimento dos sindicatos são capazes de reverter essa reforma e demais ataques, como a lei da Terceirização”, disse a presidenta do Sindicato dos Bancários.

Segundo Ivone, foi a união da categoria bancária que possibilitou o enfrentamento a alguns itens da reforma trabalhista e proporcionou a conquista de ganhos reais. “Com a Campanha Nacional 2018 colocamos, contando aumento real de salário, mais tíquetes e PLR, quase R$ 10 bilhões na economia brasileira”, disse, destacando que os bancários reconheceram as força dos seus sindicatos participando das mobilizações.

A presidenta do Sindicato dos Bancários ressalta, ainda, que apesar de todos os ataques aos sindicatos para que seus recursos e sua força fossem reduzidos, os trabalhadores e trabalhadoras entenderam muito bem a importância de fortalecer suas entidades representativas.

 

Artigos Relacionados
Leia mais em DESTAQUES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja também

STF autoriza licença de 180 dias para servidor pai ‘solo’

Os ministros do STF negaram recurso do INSS contra decisão do TRT-3 e decidiram que é cons…