Em texto definindo metas, objetivos e recomendações para a educação no Brasil, cerca de 1.500 professores e profissionais da área de todo o país defenderam a revogação imediata da Emenda Constitucional (EC) 95, que institui o chamado Teto de Gastos. O documento, elaborado na 3ª Conferência Nacional de Educação (Conae), encerrada nessa sexta-feira (23), traz diretrizes para os próximos quatro anos e será entregue ao Ministério da Educação.

De acordo com os educadores, a lei que congela por 20 anos os gastos nas áreas sociais tem retirado investimentos do setor público, impedindo a valorização de profissionais do setor. “Nós não vamos ter uma educação que cresça, construa e que faça com que nosso educando também cresça e construa o seu entendimento e aprendizagem sem que nós passemos pela questão da valorização”, afirma a professora, delegada da Conae pelo Acre (AC), Ana Abreu ao repórter Uélson Kalinovski, do Seu Jornal, da TVT.

No documento, os educadores destacaram ainda a necessidade da inclusão social com foco nas minorias e, ao final da conferência, protestaram contra o Projeto de Lei (PL) 7180/2014 que trata da Escola Sem Partido, a chamada Lei da Mordaça, que tramita na Câmara dos Deputados e pode ser votada nesta semana em comissão da Casa.

Assista à reportagem

Artigos Relacionados
Leia mais em DESTAQUES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja também

Brasil será laboratório para ferramenta de bloqueio de celular do Google

Gigante lançou no Brasil, sem previsão ainda de implantação no resto do mundo, três ferram…